A Ucrânia provou aos poucos crédulos que ainda há por aí que a Europa inexiste.

Os russos não vão deixar a Crimeia, mas o seu avanço para ocidente foi parado. Isso não se deve à França que ignorou a ameaça e o desespero ucraniano, não se deve à Alemanha que só se preocupa com os mercados e com a energia, nem se deve à desvalida Ucrânia. Para que a provocação do Putin parasse bastou que o Biden mostrasse que não estava a brincar com assuntos sérios. E a América ainda teve de falar grosso com a Turquia e terá de falar muito grosso com a China.

Quanto à Europa? A Europa é só uma anedota…